• A água distribuída pela INDAQUA é potável?

     
    A água distribuída pela INDAQUA cumpre com os critérios de qualidade da legislação vigente, sendo por isso potável.
    A Organização Mundial de Saúde e a União Europeia consideram como potável a água que pode ser consumida por um indivíduo diariamente, durante toda a sua vida, sem representar quaisquer riscos para a sua saúde.
     
    As primeiras normas relativas à qualidade da água destinada ao consumo humano surgiram há muitos anos, estipulando a ausência de microrganismos patogénicos e de componentes tóxicos prejudiciais à saúde. Com o tempo e o progresso científico registado, tais normas evoluíram e tornaram-se cada vez mais restritas, permitindo assegurar, hoje em dia, um controlo rigoroso da qualidade da água no ponto final de distribuição – a torneira do consumidor.
     
    Em Portugal, as normas relativas à qualidade da água destinada ao consumo humano são fixadas pelo Decreto-Lei n.º 306/2007 de 27 de Agosto, que transpõe para o direito interno a Directiva n.º 98/83/CE, do Conselho, de 3 de Novembro.  
  • Como a INDAQUA comprova que a água distribuída é potável?


    Através da realização de análises à água distribuída pela rede pública.

    De acordo com as disposições legais em vigor, a INDAQUA elabora e implementa um Programa de Controlo da Qualidade da Água (PCQA), aprovado pela ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos.

    O referido PCQA estipula a frequência e o tipo de análise a realizar e os locais onde serão recolhidas as amostras de água. Nos concelhos onde a INDAQUA é responsável pela gestão dos sistemas de abastecimento são efectuadas análises laboratoriais semanalmente.

    Todas as análises são realizadas em laboratórios independentes e acreditados, previamente aprovados pela ERSAR.

    Em complemento às análises regulamentares, a INDAQUA realiza ainda um número significativo de análises de controlo operacional, ao longo de vários pontos do sistema de distribuição.

  • A INDAQUA divulga os resultados obtidos nas análises da água distribuída?


    Sim. Os resultados das análises são divulgados trimestralmente, conforme estipulado na legislação em vigor.
     
    A Indaqua disponibiliza para consulta pública os Relatórios de Qualidade neste site e nos respectivos balcões de atendimento.
  • Onde são recolhidas amostras para análise da água distribuída?


    As amostras são recolhidas no interior de uma instalação ou estabelecimento, em torneiras normalmente utilizadas para consumo humano.
  • Sendo as amostras recolhidas na torneira do cliente, poderá a rede predial influenciar os resultados de qualidade?


    Sim. O cliente é responsável pela sua rede predial (canalizações, reservatórios, torneiras, etc.).
     
    Se a rede predial não estiver em boas condições de conservação e/ou manutenção, ou se houver alguma ligação ilícita a outra origem de água, os resultados das análises não serão representativos da água distribuída pela INDAQUA.
  • O que deverá fazer o cliente para garantir a qualidade da água no interior da sua casa ou estabelecimento?


    Deverá assegurar que a sua rede predial está em boas condições, quer de conservação, quer de manutenção. Os materiais utilizados na rede predial em contacto com a água devem ser adequados. Se existirem cisternas de água, estas deverão ser limpas periodicamente.
     
    Por outro lado, nunca deverá permitir a entrada de água de outras origens (poços, minas, etc) na sua rede predial. 
     
    As ligações ilícitas a outras origens de água poderão representar sérios riscos para a saúde. Além disso, a água proveniente dessas ligações ilícitas poderá contaminar a água da rede pública.
  • Por que a água da rede pública apresenta por vezes cheiro e/ou sabor a cloro?


    O cloro é um agente bactericida, adicionado à água na etapa final do seu tratamento ¬– a desinfecção. O cloro cria uma barreira à deterioração da água. Tem por objectivo eliminar bactérias e outros microrganismos que possam contaminar a água durante o seu transporte e armazenamento, ao longo do sistema de distribuição. 
     
    A presença de cloro é fundamental para assegurar a qualidade microbiológica da água na torneira do consumidor. Embora a legislação em vigor não estipule um valor paramétrico para o cloro, é recomendado que a sua concentração na água distribuída seja de 0,2 a 0,6 mg/L.
     
    A Indaqua tem mecanismos de controlo do cloro na rede de distribuição, de modo a que possam ser tomadas medidas correctivas sempre que surjam desvios ao intervalo de concentrações recomendado. 
    Ainda assim, por vezes o teor de cloro é suficientemente elevado para causar algum cheiro e/ou sabor, tornando a água menos agradável.
  • A água com cheiro e/ou sabor a cloro continua própria para consumo?


    Sim. Dentro das concentrações de cloro normalmente encontradas em redes de abastecimento público, e mesmo que sejam pontualmente ultrapassados os valores recomendados (0,2 a 0,6 mg/L), a água continua própria para consumo.
  • É possível eliminar o sabor a cloro da água, tornando-a mais agradável ao paladar?

     
    Sim. Existem alguns gestos simples que poderão eliminar o sabor a cloro da água:

    - Deixar a água repousar algum tempo, antes de ingeri-la;
    Armazenar a água no frigorífico num recipiente de vidro fechado (por exemplo, uma garrafa ou uma jarra), antes de consumi-la. A temperatura irá neutralizar o sabor a cloro;
    Adicionar umas gotas de limão ou umas folhas de menta à água.
  • E se a água apresentar coloração branca? Está própria para consumo?


    Normalmente a coloração branca deve-se à presença de ar dissolvido na água. 
     
    Esta coloração branca é passageira e desaparece rapidamente à medida que a água escoa através da torneira e o excesso de ar é libertado. 
     
    Encha um copo com água esbranquiçada e deixe-o repousar durante alguns minutos. Se a coloração desaparecer, a água continua própria para consumo (a coloração era devida ao ar dissolvido). Se a coloração persistir, deverá contactar a INDAQUA.
  • Se houver um problema de qualidade na água distribuída, que medidas serão tomadas pela INDAQUA?


    A legislação em vigor estabelece todos os procedimentos que devem ser tomados em situação de incumprimento dos critérios de qualidade.
     
    Se for detectada uma situação de incumprimento, a INDAQUA inicia de imediato um processo de investigação para identificar as causas associadas, incluindo a realização de contra-análises. Seguidamente, são tomadas as medidas correctivas necessárias.
     
    Quer a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, quer a Autoridade de Saúde local, são informados de todo o processo relativo à situação de incumprimento, podendo actuar junto da Indaqua de acordo com as disposições legais em vigor.
voltar
Seara.com
Indaqua